Avión LATAM 787-9 PAX
Avión LATAM 787-9 PAX

Cristián Ureta, CEO LATAM Cargo: “Nosso objetivo é ser mais eficientes frente às necessidades dos clientes, além de adaptar-nos às alterações requeridas pela indústria”

A LATAM Cargo, uma das maiores companhias aéreas da América Latina, lançou seu novo portfólio de produtos, o qual garante consistência na entrega ao longo de toda a sua rede internacional. O portfólio inclui o serviço FLEX, uma alternativa econômica, confiável e inovadora na região, que permite aos clientes contar com mais alternativas para otimizar sua logística.

Cristián Ureta, CEO da LATAM Cargo, analisa a estratégia dos novos produtos, além de  mercados potenciais nos quais a companhia planeja expandir seu negócio no futuro.

Como foi o ano de 2016 para a LATAM Cargo?

“O ano de 2016 foi um ano de transformação para a LATAM Cargo. Consolidamos a nossa marca única e, com isso, uma nova forma de nos diferenciar com o lançamento do nosso novo portfólio de produtos, especialmente desenhados para as necessidades atuais dos nossos clientes. Além disso, prosseguimos com o nosso plano de reestruturação e eficiência, que inclui a readequação da nossa frota de carga e a redução da nossa organização. Nosso objetivo é que sejamos mais eficientes, focando nas necessidades dos nossos clientes e adaptando-nos às alterações requeridas pela indústria”.

Quais são os mercados potenciais nos quais planejam se expandir no futuro?

“Estamos trabalhando intensamente para melhorar nossa rede com melhor conectividade para criar mais e melhores alternativas para os nossos clientes. Isso significa também acrescentar novos destinos, tanto em novas rotas com aviões de passageiros, quanto no caso de Joanesburgo, ou conexões com a Ásia com nossos parceiros, para oferecer mais capacidade ao crescente mercado chinês.

Também focamos em projetos para acrescentar novos serviços nos mercados domésticos, como é o caso de melhorias no portfólio de produtos no Brasil e no próximo lançamento do “Ajato”, nosso novo serviço de envios nesse mercado”.

Qual é o motivo de lançar um produto como o FLEX no mercado internacional e como isso irá contribuir na receita?

“O produto FLEX responde a uma necessidade de otimização. Por um lado, nossos clientes podem otimizar sua corrente definindo suas prioridades de embarque com relação ao tempo e preço oferecido pelo nosso serviço. Por ouro lado, nós podemos escolher as diferentes alternativas de encaminhamento para melhorar nossos fatores de ocupação e balancear nossa rede. Ou seja, aumentarão as toneladas embarcadas contribuindo para o crescimento de nosso rendimento”.

Qual é o plano de frota da LATAM Cargo?

“Este ano iremos devolver três aviões de carga arrendados: 1 767F e 2 777F, que, na verdade, estavam sendo pouco utilizados em nossa rede. Isso permitirá melhorar nossa eficiência, focar as capacidades da nossa frota de carga naquelas rotas que são mais valorizadas pelos nossos clientes e nas rotas que complementam nossa operação de carga em aviões de passageiros.

Nosso plano de frota contempla que no final de 2017 estaremos operando 8 767F e 1 777F.”

Como visualiza o futuro da indústria de carga aérea nos próximos anos?

“As projeções de crescimento dos mercados de carga aérea em geral não são muito auspiciosas, e deveremos redobrar nossos esforços para ser mais competitivos em uma indústria na qual também há excesso de oferta.

As linhas aéreas que operam exclusivamente com aviões de carga terão um desafio maior: como competir com a crescente capacidade de carga nos aviões de passageiros. Somado aos desafios do crescente preço do petróleo, certamente a oferta em aviões de carga tende a reduzir.

Nosso plano de transformação, definitivamente, nos permitirá ser mais eficientes e oferecer um serviço mais adequado às necessidades dos nossos clientes, consolidando nossa liderança na região”.