In Cargo
In Cargo

LATAM Cargo se apresenta na feira IQPC Cold Chain

Durante 5 dias, Chicago foi a sede da nova versão da feira IQPC Cold Chain, uma reunião que reuniu neste ano mais de 850 participantes do setor farmacêutico e seus fornecedores, como os relacionados a embalagens, agentes de carga, RFIDs e softwares, entre outros.

A edição de 2017 contou com expositores de mais de 30 países, incluindo a LATAM Cargo, uma empresa global representada por uma equipe composta por Matt Kuczek, Account Manager GSA; Robert Smith, President PTS – GSA; Claudia Magill, Director Charter Division; Rodolfo Marre, Chefe de Projeto e Valentina Anzola, Product Development Analyst, para apresentar os benefícios e competitividade do produto PHARMA, um dos 11 produtos de cuidados que compõem o portfólio da empresa.

Além disso, a equipe da LATAM Cargo aproveitou essa oportunidade para anunciar a obtenção do certificado CEIV PHARMA, que converteu a LATAM Cargo na primeira companhia aérea da América em obter esse reconhecimento concedido pela IATA no mês de março de 2017.

“A certificação concedida pela IATA demonstra o padrão global de nossos processos, com planos de contingência, de melhoria contínua e com trabalhadores treinados de acordo com o plano definido na certificação. A obtenção do CEIV PHARMA suporta a nível mundial a qualidade e consistência do nosso produto”, diz Rodolfo Marre.

A PHARMA teve uma boa recepção entre os participantes, chamando a atenção às suas características diferenciadoras, como o uso de coberturas térmicas e ter termografias em todas as embalagens para medir internamente a qualidade do produto, e oferecer o programa CAPAS (corrective actions, preventive actions) que é ativado para tomar medidas corretivas, se necessário.

Sobre a CEIV Pharma

O programa Center of Excellence for Independent Validators on Pharmaceutical Handling da IATA (CEIV Pharma) responde à necessidade da indústria farmacêutica de aumentar a segurança, conformidade e eficiência da cadeia logística no transporte de medicamentos. As exigências tornan-se ainda mais importantes, considerando que cerca de 30% dos medicamentos são danificados por problemas na cadeia logística, e que cerca de 20%