130304_TAM_MIA_1001-s
130304_TAM_MIA_1001-s

Novos desafios para o setor de carga aérea

CUreta horizontalA rapidez é, de longe, o maior atrativo da carga aérea, mas seu custo, associado ao combustível, além das restrições e regulamentos, principalmente com relação à segurança, têm reduzido suas vantagens.

Atualmente, os grandes exportadores de carga estão otimizando suas redes de logística de forma bastante criativa. As tendências do in-shore (traslado de produção e montagem mais próxima do consumidor), ou as mudanças e complementações de outros meios de transporte, ou a redução do volume e/ou peso do pacote e dos produtos, além da redução dos custos financeiros dos estoques, representam parte do balanço permanente que as áreas de produção e logística estão realizando. E, aparentemente, isso está gerando resultados – pelo menos é o que mostra a redução da porcentagem de carga aérea no volume total transportado globalmente, além da consequente redução dos custos.

Além disso, as tendências de protecionismo e maior regulamentação, ainda que isoladas e nos mercados menos desenvolvidos, também afetam o crescimento da demanda. O mesmo efeito surge com o aumento das restrições de segurança, que já vêm sendo implementadas há bastante tempo e são cada vez mais rígidas no transporte aéreo.

É evidente que o setor aéreo, principalmente as companhias líderes como nós, deve responder com iniciativas originais e eficientes para que a alternativa de carga aérea volte a ser a mais vantajosa, atraindo mais demanda e respondendo melhor às principais exigências dos nossos clientes.

As afiliadas de carga do Grupo LATAM Airlines, trabalhan intensamente em diversos projetos que apontam para uma competitividade maior, não apenas perante nossos concorrentes tradicionais e outros meios de transporte, mas também para sustentar melhor as tendências globais de otimização.

Já não basta possuir as aeronaves mais eficientes em termos de consumo de combustível. Devemos oferecer também uma quantidade maior de alternativas, com melhor qualidade, que incluam diferentes “rotas” e “tempos de trânsito”, além de preços mais competitivos. Para isso, desenvolvemos um grande projeto de “Produto e Conectividade”, que oferecerá aos nossos clientes opções mais variadas e em maior número para o transporte de encomendas, de acordo com as suas necessidades.

Para que a rede seja mais competitiva, aproveitamos todos os espaços na capacidade de carga das aeronaves de passageiros, que juntamente com a frota de aeronaves fazem com que a nossa rede seja a mais importante e versátil da região.

Também estamos investindo em melhorias nos nossos sistemas informatizados, pois sabemos que a ferramenta online é de extrema importância para os nossos clientes, fazendo com que possamos otimizar melhor os espaços disponíveis em toda a rede. Juntamente com todas as iniciativas de e-Freight que fomentamos enquanto setor através da IATA, temos certeza de que implementaremos melhorias muito importantes em toda a cadeia de logística dos nossos clientes.

Não podemos esquecer nossos investimentos em projetos de infraestrutura que facilitem e agilizem os processos em aeroportos, garantindo segurança e atenção em cada envio. E caso ocorra algum problema, hoje nós nos responsabilizamos por isso.

Existe uma área focada na gestão de exceções, cujo objetivo é oferecer suporte em caso de inconvenientes, fornecendo informações pontuais e de forma proativa, além de soluções eficientes que atendam às necessidades dos nossos clientes.

Gostaria de destacar que cada uma dessas iniciativas e avanços só é possível graças à equipe que existe por trás da as afiliadas de carga do Grupo LATAM Airlines. Pessoas altamente qualificadas, representando diversas culturas e países, dispostas a dar o seu melhor e comprometidas com o constante aprimoramento da experiência de atendimento com a nossa companhia.

Nosso grande objetivo é contribuir de forma eficiente e confiável para a rede de transporte dos nossos clientes, tornando-os cada vez mais competitivos.

Por: Cristián Ureta, CEO da LAN CARGO